Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

CORDEL- MOTE- O TEMPO DÁ, E DEPOIS LEVA. E NÃO DEVOLVE NUNCA MAIS

Quero voltar um pouco ao passado
Tempo esse que não me sai da lembrança
Recordo-me quando ainda criança
Com meus irmãos eu brincava
Com bola de gude eu apostava
Quem mais ponto ali fazia
-era assim quando amanhecia
E eu nunca era passado pra trás.
O tempo dá, e depois leva
E não devolve nunca mais.

,
Mais com apenas oito anos
Do gado de meu pai eu cuidava
Capim no mato agente cortava
E levava para o curral
Enfrentava as vezes até lamaçal
Quando no inverno em casa chovia
Confesso que sentia até uma agonia
minha obrigação era com os animais.
O tempo dá, e depois leva
E não devolve nunca mais.




Mais para completar minha história
Eu não cuidava apenas do gado
Ia com meu pai para o roçado
Ajudar a semente plantar
Quando a cova ele começava a cavar
Eu jogava logo a semente
Antes que a terra ficasse quente
E perdessem todos vegetais.
O tempo dá, e depois leva
E não devolve nunca mais.




Meu Deus como eu queria
Se eu pudesse ao passado voltar
termino esse mote e começo a chorar
Apenas recordando o meu passado
Meu pai hoje já sepultado
E mamãe também já se foi
Não escuto mais nem um oi
Que falta sinto dos meus pais.
O tempo dá, e depois leva
E não devolve nunca mais.



Mais para encerrar esse mote
Que um amigo me solicitou
E Deus aqui, quem me inspirou
Aplicando hoje minha inspiração
Desse amigo não sei qual sua profissão
Mais vejo com um violão ao seu lado
Percebo que ele é muito interessado
E adora as cordas musicais.
O tempo dá, e depois leva
E não devolve nunca mais.

João pessoa, 05 de Outubro de 2011-10-03

Armando Morais.



-

CORDEL- A HISTÓRIA DE VIDA DE UM POLICIAL

Meus amigos, esse trabalho de cordel foi meu segundo folheto que fiz, no ano de 2009 e hoje venho expor aos amigos do recanto, e nele eu relato a verdadeira história do policial militar brasileiro, como venho também expondo algumas criticas construtivas, para que sirva como exemplo aos nossos governates. E esse cordel ele foi escrito em 83 estrofes já que para narrar a vida de um policial, não existe quantidades de estrofes, porque a história de um policial em sir não tem fim. Agradeço por aquele que puderem ler e expor seus comentários.

1-Aqui eu relato uma história
De um policial militar ou civil
Não cito o nome de seu estado
Pois essa situação você já ouviu.
O quanto é difícil fazer segurança
Nesse país chamado Brasil.

2-Durante os meus tempos de serviços
Muitas histórias eu já ouvi por demais
E agora eu começo esta
Que é dos nossos dias atuais.
E relato em forma de sextilha
E ofereço aos amigos policiais.

3-Certa vez três policiais estavam de serviço
Quando a guarnição foi acionada
E ao chegar em certo local
A vítima estada ali assustada.
Dizendo:- o assaltante foi embora
Dando uma carreira danada.

4-Colocaram a vítima na viatura
E umas Honda foram fazer
Quando chegaram em outro bairro
O assaltante conseguiram prender.
Ele estava com os pertences da vítima
Naquele local querendo vender.

5-Colocaram o acusado na viatura
Onde o mesmo muito reagiu
Os policiais usaram a força necessária
Enquanto na mala, o meliante caiu.
Acionaram o veiculo em velocidade
E pra delegacia direto seguiu.

6-quando chegaram à delegacia
Estavam três senhores engravatados
Com seus carros novos do ano
E tava dois com seus celulares ocupados.
E antes de entrar na delegacia
Chegava o comandante apressado.

7-quando a guarnição viu
Aquele número de autoridades
Disse um dos três:-Meu Deus
Tenha de nós piedade.
É hoje que seremos transferidos
Desta nossa pacata cidade.

8-o acusado é cunhado do deputado
O prefeito é irmão do seu pai
Seu primo é chefe dos direitos humanos
Assim foi logo dizendo:- isto já é demais.
Providencie senhor comandante
A transferência desses policiais.

9-A vítima do policial ficou amiga
Depois de muito conversar
Quando foi em poucos dias
Os jovens foram passear.
Depois daquele momento
Eles começaram a namorar.

10-Eles foram se divertir
El lugares diferentes
Por eles estarem apaixonados
Ficaram muito contentes.
Porque eles tinham certeza
Que era amor para sempre.

11-certa vez ao namorar muito
Juntos começaram se desejar
Ele a convidou para ir ao hotel
Para que pudessem se amar.
Ansiosos e felizes da vida
Estavam juntos a se realizar.

12-Ao chegarem àquele hotel
Em uma suíte os dois ficaram
Começaram a se beijar
Naquele local se amaram.
Durante toda aquela noite
Esse amor perpetuaram.

13-para a surpresa daquele jovem
Virgem, a jovem era
Depois que tentou varias vezes
Conseguiu dá o prazer para ela.
E quando terminaram de se amar
Ele ficou bem juntinho dela.

14-Outro dia saíram novamente
Em um barco a passear
Levando a sua amada
Prá mostrar a beleza do mar.
E ver as águas em movimento
E as aves sobre as ondas do mar.

15-foi quando ele pegou um molinete
E em suas mãos entregou
Tentado ensiná-la a pescar
Momentos que ela gostou.
Quando ela pegou o anzol
Disse:-Amor o peixe beliscou.

16-Esse peixe que mordeu a isca
Sua amada correndo o puxou
Como era um peixe enorme
A linha logo torou.
E seu amor que estava feliz
Derepentemente muito chorou.

17-E uma semana depois
Eles voltaram a se encontrar
Indo ao farol cabo branco
A contemplar a paisagens do mar.
Vendo sobre as pedras aquela água
Que vinha com o vento a rolar.

18-E com o passar do dia
Um vento forte nela bateu
Abraçando a sua amada
Juntando a ela o corpo seu.
E depois de poucos minutos
Eles gostaram do que aconteceu.

19-E enquanto os dois estavam se divertindo
Uma pessoa ali se afogava
O bombeiro que estava sempre alerta
Aquela vítima ele salvava.
Como ela estava desmaiada
Respiração boca a boca ele realizava.

20-O bombeiro por ser inteligente
E para isto é treinado
Logo pego uma ambulância
E levou para o hospital apressado.
Como o salva vidas agiu correto
Mais um afogamento foi evitado.

21-Depois de passar aquela tarde
O seu amor em sua casa o levou
No caminho de sua residência
O seu carro bem próximo parou.
Juntando seus lábios ao dela
Ali mesmo fizeram amor.

22-Como eles estavam apaixonados
O preservativo ali dispensou
E sendo mais de uma vez
Que com ela tranzou.
Depois de poucos meses
Aquela moça engravidou.

23-Depois de quase dois meses
Que a jovem começou a enjoar
O seu pai logo desconfiado
Começou a ela perguntar.
Cadê o pai desse menino?
Que quero com ele falar.

24-Quando o rapaz soube da noticia
Na casa da moça chegou
Ao entrar naquela casa
A mão do sogro apertou.
E pra conversar melhor
Naquele sofá logo sentou.

25-Os jovens ficaram felizes
Por aquela reunião
Onde o pai daquela moça
Aceitou de todo coração.
Ele tinha mesmo que aceitar
Dos dois aquela união.

26-depois de alguns meses
O filho do casal nasceu
A mãe co seu filho dizia:
_Hoje dou graças a Deus.
E abraçada com seu marido falava:
_Meu amor, que lindo filho você me deu.

27-Foram todos viajar
Para as férias do marido curtir
Pegando o seu carro dizia:
_Corra vamos logo partir.
Iremos conhecer a cidade de Natal
Que dizem ser boa para se divertir.

28-Trinta dias de férias
Em Natal eles passaram
A praia de ponta negra
Eles também visitaram.
Tantas coisas eles conheceram
Que aquele passeio amaram.

29-Quando o policial planeja viajar
Uma escala de repente aparece
E logo o policial cancela tudo
E a família ali entristece.
Os filhos ficam chorando
Hoje isso muitas vezes acontece.

30-Quando chega o mês de Dezembro
Muitos policiais são escalados
Para dar segurança nas praias
Em um extenso trecho determinado.
Deixando a sua família em casa
Que todos ficam revoltados.

31-Dois anos rapidamente se passaram
E a mulher outra vez engravidou
Pra ter certeza que estava grávida
Uma ultrasom ela realizou.
E ao pegar o resultado sorriu
Ficou feliz e depois chorou.

32-Quando foi com nove meses
Aquele lindo filho nasceu
O policial muito feliz dizia:
_Chegou mais um filho meu.
E pegando o bebê nos braços repetia
Que lindo, dou graças a Deus.

33-E quando três anos se passaram
Naquela família era somente alegria
O policial muito orgulhoso
Com os filhos no parque se divertia.
Mas ele não sabia da tragédia
Que lhe aguardava no outro dia.

34-Logo após aquele dia
O policial foi trabalhar
Por ele ser operacional
Tinha que na viatura rondar.
Enquanto ele protege a sociedade
Sua família em casa sozinha está.

35-Ao sair ele dar um beijo no filho
E outro também na mulher
O policial sai para o trabalho
No coração ele ora com fé.
Que Deus te acompanhe
E te guarda na arca de Noé.

36-Muitos policiais moram em favelas
E até com traficantes às vezes se envolvem
Quando ele entrega os bandidos
Muitos ali mesmo morrem.
Mas tem policiais inteligentes
Que com bandidos nunca se envolvem.

37-O cidadão quando encontra um policial
Poderia a sua mão apertar
Dizer:- Vá amigo com Deus
Que amanhã você vai voltar.
A sua família que ficou dormindo
Bem cedinho deseja abraçar.

38-Quando foi um certo dia
Um assalto em um banco ocorreu
Sua viatura que já estava na área
Mas vejam o que aconteceu.
O policial ao trocar tiros com bandidos
Um projétil atingiu um membro seu.

39-Levado às pressas para o hospital
Aquele policial em coma ficou
Pois o tiro atingiu a sua coluna
E quase todo seu corpo paralisou.
Cerca de um mês no CTI
Aquele paciente muito chorou.

40-Quando o policial percebeu
Que a esposa estava ao seu lado
Ele ali muito triste, dizia chorando:
_Meu amor está tudo acabado.
A mulher caia em desespero
Ficando com o marido abraçado.

41-Ele olhou para o outro lado da cama
E a sua esposa tentou perguntar:
-Cadê os meus queridos filhos?
Aonde é que eles podem estar.
-Me traga eles amanhã
E ali ele começou a chorar.

42-Naquele dia seguinte
Os filhos chegaram desanimados
Ao verem seu pai chorando
Na cama todo enfaixado.
Eles beijavam tanto aquele pai
Que ficaram com ele abraçados.

43-Seis meses depois
O policial ali se recuperava
Mas mexia um pouco com os braços
Enquanto a parte inferior paralisava.
Botaram ele na cadeira de roda
E pra casa aquela mulher levava.

44-Pelos direitos humanos
O policial é discriminado
Quando leva um tiro
Por eles não somos visitados.
Mas quando atiram em um bandido
Por eles nós somos criticados.

45-É uma triste realidade
Como os direitos humanos agem
Eles só protegem os bandidos
Enquanto pelo pai de família nada fazem.
Esquecem os homens de bem
E se preocupam coma bandidagem.

46-Existe o estatuto chamado ECA
Que para o Brasil é um absurdo
O delinqüente comente um crime
E o estatuto acoberta em tudo.
Dizem:- coitadinhos os bichinhos
Mas na verdade só há marmanjos e barbudo.

47-E aquele humilde policial
Que de tanto desgosto chorava
Ao ver o filho mais novo
As suas lagrimas enxugava.
Enquanto a mulher que tanto o amou
Daquele marido não mais cuidava.

48- Depois de dois anos
Aquela mulher não agüentou
Deixando os filhos com o pai
E de casa ela se mandou.
Aquele policial quando soube
Com depressão ele ficou.

49-Quando o policial ia para o banho
Os filhos iam a ele ajudar
Banhava-o com muito carinho
E depois eles tentavam enxugar.
Colocava de volta na cama
E comida na boa faziam questão em dar.

50-Os filhos abraçados com o pai
Chorando começavam a perguntar:
-Papai cadê mamãe?
Onde é que ela está.
O pai beijando os seus filhos
Juntos todos começaram a chorar.

51-Aquele pobre policial
Quando ficou paralisado
Em cima de uma cama
Ficou muito traumatizado.
Chorando a todo instante
Só lembrando do passado.

52-O seu superior sempre o ajudou
E uma viatura sempre mandava
Apanhar aquele policial
Que para ir ao médico precisava.
E os filhos juntos a ele
Todo o dia o acompanhava.

53-Chegando ao hospital
Lembrou no tempo que passou
Ao pegar os seus exames
Logo ao médico ele mostrou.
Observando as palavras do médico
De tudo que ele falou.

54—Você tem 98% de chance
Para começar a andar
Será uma cirurgia na Italia
E você muito vai gastar.
Porém custa dez mil dólares
Para o tratamento começar.

55-Aquele pobre policial
De repente muito entristeceu
Foi na sala daquele médico
Que lágrimas dos seus olhos desceu.
Ele abraçou-se com os filhos e dizia
Lamento doutor, adeus.

56-O filho mais velho disse:
-Papai nós vamos te ajudar
Eu irei fazer o possível
E frete também irei pegar.
Quem sabe que um dia
Essa quantia poderemos levantar.

57-Foi quando seu filho mais velho saiu
Empurrando aquele carro de mão
Em direção a feira do mercado
Bem próximo ao calçadão.
Quando as senhoras iam saindo
Ele oferecia a condução.

58-E no final de todo dia
O filho em casa chegava
Ele estava tão faminto
Porque ele não almoçava.
Juntava todo aquele trocado
E na mão do seu pai entregava.

59-Se o policial ganhasse suficiente
Um plano de saúde poderia fazer
Para quando sofrer um acidente
Não ficar pelo SUS a sofrer.
Pois teria uma alternativa segura
Para assim poder se manter.

60-Com um plano de saúde
O policial não será desprezado
Porque mesmo nos hospitais
Todos seriam bem tratados.
Não se compara com o SUS
O qual somos discriminados.

61-A todo o político nesse momento
Que os meus versos ler
Eu falo por todo policial
Que está na batalha do dia a sofrer.
Ele precisa de melhores salários
Para poder dignamente se manter.

62-Aos senhores deputados
Saibam que no plenário o policial irá cobrar
Casas,risco de vida e plano de saúde
Para o policial civil e militar.
Não pensem enganá-los
Deixando-os sempre a esperar.

63-Quando o policial fala de salário
Isto é muito bom se comentar
Pois o mesmo tem que fazer um bico
Para com a sua renda ajuntar.
Se quiser viver melhor
E seu filho em um bom colégio estudar.

64-Quando falam de salário
Vivem na pele um grande absurdo
São marcadas verias reuniões
De repente desmarca tudo.
E o policial aguarda a próxima ansioso
Sendo tratado como um menino buchudo.

65-Na madrugada daquele dia
O policial veio a despertar
E quando ia para a cadeira de roda
Ao chão veio escorregar.
Como os filhos estavam dormindo
Não foi possível aquela queda escutar.

66-Aquele pobre policial
Que ao fundo do poço chegou
Chorava feito criança dizendo:
-Alguém me ajude por favor.
Foi quando o filho ouviu o desespero
Correndo e com o pai se abraçou.

67-Certo dia o policial procurou uma igreja
Pra ir ao encontro do senhor
Quando chegou junto do povão
Com eles o policial se juntou.
Naquela cadeira de roda
Ali mesmo ele muito chorou.

68-Os filhos que estavam com o pai
Aquela emoção não puderam suportar
Os dois abraçaram-se com ele
E juntos começaram a chorar.
O filho mais novo dizia:
-Papai, Jesus vai te curar.

69-O autor daquele disparo
Na igreja às vezes, ele ia
Por ver o amigo paralitico
Ele ali muito sentia.
Por ele ser o único culpado
Por tudo aquilo que via.

70-Naquele grande assalto
Estava um grande amigo seu
Por ele estar encapuzado
O policial não o reconheceu.
Prá surpresa daquele policial
Foi seu amigo, quem o tiro lhe deu.

71-Aquele grande assaltante
Não sabia como o amigo ajudar
Por ser um grande amigo seu
Nem tão pouco como contar.
Por ele ser o único culpado
Da situação que o policial veio estar.

72-Então ele marcou um simples almoço
E ao policial ele convidou
Quando era meio dia
Em sua casa o policial chegou.
Foram todos para cozinha
E com ele o amigo almoçou.

73-Foi assim que se deu início
A conversa sobre aquele ocorrido
Daquele grande trágico assalto
E também sobre os bandidos.
Quando o amigo lamentava
Por aquele acontecido.

74-Depois de muitos conversarem
A uma decisão o assaltante chegou
Dizendo para o amigo:
-Só não me lembro quem atirou.
Eu só pensava em fugir
Quando alguns tiros alguém disparou.

75-Mas mesmo sem assumir a culpa
O bandido tentou o seu amigo ajudar
Foi pegar o dinheiro do assalto
E a sua cirurgia foi pagar.
Crendo que o seu amigo
Voltasse um dia a andar.

76-Aquele humilde policial
Que ao fundo do poço chegou
Abraçou-se com seu amigo
E ele ali muito chorou.
Enquanto o assaltante pedia perdão
Aquele policial lhe perdoou.

77-Terminando aquela conversa
Eles para o aeroporto se mandaram
Quando foi com três dias
Ambos para Itália viajaram.
E após uma semana
Aquela cirurgia realizaram.

78-Como foi tudo particular
O cirurgião com jeitinho operou
Cerca de um mês depois
Aquele policial andou.
Abraçados com os filhos e amigo
Ali ele muito chorou.

79-Por ele ter voltado a andar
Todo o seu corpo se movimentou
Ele voltou a ter saúde
E novamente se casou.
Quando foi com dois anos de casados
E uma menina a mulher engravidou.

80-Devido ao seu passado
Ele disse:- Meu Deus e agora?
Que nome eu darei a minha filha
Jesus tocou no coração, lembrei Vitória.
Então ele foi registrar sua filha, chorando
Dando o nome de Vitória.

81-Seus filhos tornaram-se homens
E na policial ingressaram
Viajaram para Itália
E concursos lá realizaram.
Foram ser policiais federais
E por lá eles ficaram

82-O policial desse grandioso Brasil
É um sujeito esforçado
Quando sai em ocorrência
Ele mostra um perfeito resultado.
Traz o elemento de qualquer jeito
Preso, algemado, morto ou rasgado.

joão Pessoa, 05 de outubro de 2011