Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

CORDEL- MOTE- O TEMPO DÁ, E DEPOIS LEVA. E NÃO DEVOLVE NUNCA MAIS

Quero voltar um pouco ao passado
Tempo esse que não me sai da lembrança
Recordo-me quando ainda criança
Com meus irmãos eu brincava
Com bola de gude eu apostava
Quem mais ponto ali fazia
-era assim quando amanhecia
E eu nunca era passado pra trás.
O tempo dá, e depois leva
E não devolve nunca mais.

,
Mais com apenas oito anos
Do gado de meu pai eu cuidava
Capim no mato agente cortava
E levava para o curral
Enfrentava as vezes até lamaçal
Quando no inverno em casa chovia
Confesso que sentia até uma agonia
minha obrigação era com os animais.
O tempo dá, e depois leva
E não devolve nunca mais.




Mais para completar minha história
Eu não cuidava apenas do gado
Ia com meu pai para o roçado
Ajudar a semente plantar
Quando a cova ele começava a cavar
Eu jogava logo a semente
Antes que a terra ficasse quente
E perdessem todos vegetais.
O tempo dá, e depois leva
E não devolve nunca mais.




Meu Deus como eu queria
Se eu pudesse ao passado voltar
termino esse mote e começo a chorar
Apenas recordando o meu passado
Meu pai hoje já sepultado
E mamãe também já se foi
Não escuto mais nem um oi
Que falta sinto dos meus pais.
O tempo dá, e depois leva
E não devolve nunca mais.



Mais para encerrar esse mote
Que um amigo me solicitou
E Deus aqui, quem me inspirou
Aplicando hoje minha inspiração
Desse amigo não sei qual sua profissão
Mais vejo com um violão ao seu lado
Percebo que ele é muito interessado
E adora as cordas musicais.
O tempo dá, e depois leva
E não devolve nunca mais.

João pessoa, 05 de Outubro de 2011-10-03

Armando Morais.



-

2 comentários:

  1. Interrompemos a programação normal deste site/blog para um informe policial.

    O Repórter WEB Virtual Última Hora informa: O rato de laboratório está solto novamente!

    - "Nessa madrugada de segunda-feira para terça-feira, três elementos encapuzados e fortemente armados invadiram esta delegacia, dominaram os policiais que faziam o plantão junto ao escrivão, e em seguida abriram a cela onde estavam o rato de laboratório e mais sete presos. Os bandidos trancaram os policiais e o escrivão nesta mesma cela, e o rato de laboratório, junto aos três elementos encapuzados, fugiram na viatura que estava no pátio, a qual abandonaram logo em seguida, fugindo com um carro roubado. Os demais presos fugiram a pé, sendo que quatro deles já foram recapturados, um foi encontrado em um boteco próximo a este local, ouvindo pagode e comendo uma coxinha. Como pode ser notado, os bandidos não efetuaram um único disparo. Está sendo aberta uma sindicância para apurar se houve facilitação da fuga, visto que o rato de laboratório já deveria ter sido transferido há alguns dias, e também o porquê haviam somente dois policiais no plantão desta madrugada. O resultado da sindicância pode ser determinante para a manutenção do delegado titular no seu cargo ou não. Não sabe-se ainda se há veracidade no fato ou se estão tentando evitar uma histeria coletiva, mas o delegado chefe da polícia federal afirmou que está tudo sob controle, que não há motivos para pânico, pois dentro de poucas horas o rato de laboratório será preso novamente. Enquanto isto não acontece, nós, do Repórter WEB Virtual Última Hora aconselhamos que todos fechem suas casas, fechem seus sites, fechem seus blogs, fechem suas mentes!".

    - "A qualquer momento o Repórter WEB Virtual Última Hora voltará com mais notícias, fique ligado. Boa noite".

    http://progcomdoisneuronios.blogspot.com.br/2011/10/toda-trajetoria-do-rato-de-laboratorio.html

    ResponderExcluir
  2. Foi um prazer enorme encontrar seu blog
    adorei seus poemas .
    Espero um dia visitar meu blog.
    Abraços,Evanir.

    ResponderExcluir