Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 17 de maio de 2011

SONETO- NÃO SOU VELHO

Mesmo chegando a minha hora
Mais terei sempre minha liberdade
Que às vezes meu corpo implora
Para um repouso, sente necessidade.

Minhas pernas já sentem cansadas
Ainda bem que escrevo com a mão
Às vezes me acordo nas madrugadas
Pra receber de Deus a inspiração.

A velhice está de mim se aproximando
E eu aceito com muito prazer
Até o dia que Deus me levar.

Venho cada soneto aqui meditando
Adoro meus trabalhos escrever
E que Deus venha me inspirar.


João Pessoa-17 de Maio de 2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário